30 de junho de 2010

As mascaras caem...


















Um dia eu sei que as mascaras caem...
Um dia eu sei que ficarei só...
Um dia eu sei que os companheiros sumirão...
Um dia eu sei que a vida irá me deixar...

Mas e eu? Será que já não deixei a vida passar?
Não... não deixei...
Aproveito a cada novo momento,
Todas as formas de vida que me é permitido...

Não a minha máscara não irá cair...
Não hoje, e nem nunca...

Pois não tenho máscaras... não tenho outra imagem...
Não me reflito no espelho da vida!

Não, minha máscara é a carapuça que visto...
E assumo... pois sou verdadeiro... sou sincero...
Sou único... Isso sim; Único!

Pois amo aqueles que me amam..
Amo até os que não me amam...
Sei amar até os que me odeiam...
Pois há muito eu aprendi... e entendo...
A verdadeira essência do amor!

(Esse vai para os amigos e seguidores deste blog, mas em especial para Wanderley Elian Lima, pois está sempre a acreditar neste blog... e neste blogueiro que finge ser escritor... um abraço)
Carlos Falcão

3 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Obrigado amigo pela homenagem em forma de poema. Fiquei muito feliz.
Abração

Franck disse...

Passando por aqui, justamente na homenagem ao Wanderley, ele merece!
Gostei dos poemas/textos!

Sil.. disse...

Carlos, vim retribuir sua visita no meu blog, e já entro aqui encantada com seus escritos, e principalmente no amor que vc sente declaradamente no seu perfil.
Realmente, familia é TUDO mesmo.

Parabéns pela sua linda familia meu amigo.
Te sigo com honra!
Um abraço!