27 de fevereiro de 2012

Reflexão

Fica aqui um recado para reflexão de meus amigos, pessoas que realmente amo e dedico o que está escrito abaixo...

Na minha opinião, pior que não ter caráter, pior que fazer as pessoas sofrerem sem motivo algum ou até mesmo por vingança (sentimento pobre), e até mesmo ser falso com aqueles que te amam... Pior que tudo isso é você achar que está "na crista da onda", que é a "última bolacha do pacote", achar que é superior ou soberano, se vender por pouco ou por nada... Mudar a sua postura de agir e viver... Deixar que seus métodos ou gostos diários se alterem para agradar terceiros. Não podemos escutar uma música porque AQUELA pessoa gosta, ou usar uma roupa, ou começar a gostar de algum esporte diferente somente para agradar outros... Ser diferente por que ALGUÉM assim o quer, ou porque seria importante para esse alguém, isso para mim é se prostituir.

A prostituição não é só você vender o corpo em atos libidinosos e sexuais em uma boate ou rua escura qualquer, se prostituir é se corromper, enveredar-se pelas ruas estranhas dos caminhos errados que escolhemos...

Se prostituir é deixar de lado os seus princípios e seu caráter para mostrar para um determinado grupo de pessoas ou um alguém especifico que você é exatamente aquilo que essa pessoa(s) sempre sonhou, mas que na verdade você não é...
Devemos começar a refletir se vale a pena criar uma metamorfose de si mesmo apenas para agradar alguém, para aplacar certas vontades ou desejos.
Não podemos esquecer nunca que "Pior que mentir para o mundo, é mentir para si mesmo", corremos o risco de acreditar na nossa própria mentira...

Infelizmente o resultado dessa mentira que criamos para nós mesmos é sempre a falsa felicidade, a "verdade mentirosa que nunca existiu ou existirá", é a dor sem remédio, a queda livre perante tudo aquilo que poderíamos ter conquistado sendo nós mesmos.

Uma boa semana à todos

Carlos Falcão

22 de agosto de 2011

Quero
















Eu quero andar sobre as águas
Quero poder o mar abrir
Sair intacto da fornalha eu quero
Quero fitar Seus olhos e sorrir
 
 
Dormir tranquilo na cova dos leões
E todos os dias poder Lhe adorar
Quero nuvens confortantes no deserto
E agradecer em louvores o maná
 
 
Quero com agilidade o gigante derrubar
Minha cidade como Neemias novamente erguer
Poder guiar o povo pelo deserto até Ti
E quero força para não cair ou esmorecer
 
 
Quero subir alto como Zaqueu
Pois preciso ser enxergado por Ti
Preciso apenas de sua palavra como o centurião
Assim sei que receberei Sua cura e Seu perdão
 
 
Quero ser o mais humilde de seus servos
Aquele que dará a vida em Suas mãos
E como disse Moisés no deserto
- Hoje é o dia que saístes da casa da servidão...
 
 
Quero sentir sua intensa presença
Todos os dias o meu ser alegrar
Pois tua palavra diz: - Aquele que crê em mim,
Ainda que esteja morto viverá!

30 de março de 2011

Meu tempo...


O tempo passa diante de meus olhos,
As manhãs correm, as tardes escorregam,
Por entre os dedos as noites caem...
Cansado entrego aos braços de Morfeu

Quem dera tivéssemos tempo...
Mais tempo para nós, para nossos tempos,
Temos todo o tempo do mundo,
Mas não temos tempo para nada...

Queria poder ouvir a canção,
Sentir seu coração pulsar em meu abraço,
Sentir seu respirar profundo do dormir,
Queria ter tempo de conseguir sorrir...

Mas não tenho tempo para isso,
Não tenho tempo para mim,
Não tenho tempo para dar tempo a ti,
O nós juntos, por si só já nos basta

Fugimos do tempo no espaço tempo,
Fugimos do mundo e no mundo sempre a sós
Corremos de nós mesmos para ficarmos juntos,
Somente assim teremos no futuro tempo para nós...

Quiça um dia o tempo me sobre,
Nem que seja apenas para mostrar o meu sorrir,
Quem sabe o tempo seja nosso amigo,
Para dar tempo de ficar muito mais junto a ti

22 de outubro de 2010

Ah! O Amor...















Amor
Nunca dor
Jamais causa sofrer
Menos ainda eterno padecer
Nos faz enxergar a vida
Nos mostra que amar é tudo

Amor encanta
Nunca espanta
Ele escapa
Mas retorna

O amor cega
Ele deixa bobo
Nos faz criança
Deveras é louco

Amor cura a ferida
Traz o sorriso novamente
Cala a voz sofrida
Espanta os males d'alma

Amor dói e sara
Cicatriza e deixa marcas
Dilacera a alma inteira
Volta a ser doce

O amor quando chega encanta
Ele paira em nosso coração
Ri o riso dos apaixonados
E chora o choro feliz

O amor quando permanece é eterno
Quando verdadeiro ele jamais morre
Quando sincero ele cresce todo dia
E jamais causa feridas em alguém

27 de setembro de 2010

Frio

Na noite fria, é onde mora o meu sofrer...
Derramando às lagrimas que conquistei...
Porque chorei? pergunto a mim, e sei que foi pelo amor de minh'alma...
O grito do sufocar que outrora ficou em meu coração...
Temo mais a vida do que a morte, pois dos dias meus eu nada sei...

A vida me assusta, já a morte me encanta...
Tenho fascinio pela dúvida,
A vida, eu vivo, já vivi e vou vivendo...
A morte, já falei com ela, bailei com ela

A vida, brinca muito comigo,
Me maltrata e me faz sofrer,
A morte, sorri de mim e sai...
Me deixa louco e teme a minha loucura

A vida que amo não ama a mim...
A morte não amo e ela um dia irá me beijar,
Na vida as vezes canso do sofrer,
A morte só me quer quando eu querer...

O choro é da vida, canto do sofrer,
O riso é da morte, engano do querer,
O ódio é do amor, vida no chorar,
O amor é da vida, que ama o querer do penar...

Carlos Falcão

10 de setembro de 2010

Gaivotas ao vento...



Às vezes quando penso que estou só
lembro de uma parte de minha vida
onde caminhava por sombras e lamurias.


Lembro que quando tudo era trevas
Deus me deu a luz em forma de amor e me permitiu
ser conduzido aos vales da sabedoria e da compreensão...

ELE permitiu que eu me perdoasse de meus erros
para assim perdoar a quem devia ser perdoado...

Demorou, mas hoje vivo de forma intensa e feliz...

Hoje todas as mensagens que mando soam como despedida,
mas não, não vou morrer...
Não vou deixar de existir e muito menos de ser amigo de mim mesmo...
É que como a vida nos trás a incerteza,
devemos agradecer tudo de bom e confortante...

O tom de despedida em minha alma é apenas o que aprendi...

Devo agradecer e me despedir
de todos ao menos uma vez,
para que quando chegar a hora de um distanciamento,
não partamos sem ao menos dizer...

... Obrigado, adeus ou quiçá até um dia...

1 de setembro de 2010

Eu... essência de mim...



Meu dias são meus e de mais ninguém,
A palavra ressoa em minha dor,
A Loucura paira sobre meus ombros,
Ondo o sim de meus erros são o não de minha vida...

Cortei meus pulsos com as laminas de suas lagrimas,
Jorrou de mim o sangue que outrora bebi,
De meu lume surgiu o pó da dor,
Do fogo das chamas onde lhe queimei...

O destino nos apresentou para o fim,
O propósito está concluído e à mim?
Restou a culpa de não ter querer,
Mas sobrou a guerra das agruras de você...

Que mundo louco é esse dentro de mim,
Onde o erro da luta me desarma de vontades,
E o querer do sofrer se derrama ao deleite do amar,
E dou o meu corpo às damas da vida...

Me querem? Sou seu...
Me amam? Nada sabem do amor...
Me matam? Sou dono de minhas vontades...
Me faz sofrer? A dor em minha alma já o fez...

Aprendi com a dor, com o sofrer...
Nunca mais irei chorar, nem sorrir, nem penar,
Menos ainda sofrer, ou lutar com o querer,
Não vou viver, nem morrer, apenas serei EU.

25 de agosto de 2010

A vida sem ti não existe...



Sou o sol que irradia raios luminosos
Sou o ar que enche diariamente o mundo de vida
Sou a verdade por dentre todas as mentiras
Sou único e soberano...

Estou em tudo e em todos,
Estou nos lugares mais próximos e/ou mais longínquos
Sou o ponto de equilíbrio entre o BEM e o mal
Sou as plantas que respiram o meu amor...

Sou o cosmo, o sim, o não e nunca o talvez
A plenitude do querer e do poder
O saber, o sorrir e o chorar, o querer
Sou a vida, sou a morte e sou a verdade

Sou fruto da existência dos seres,
Sou tudo e apenas o que você precisa na vida
Estou na sua essência e querendo você...
Mas não sei... se estás em mim...

Te quero, te amo, te desejo...
De forma simples, e perspicaz
Te quero para mim, te amo como um pai
Te desejo em mim... na minha essência

Sou teu Pai, tua Mãe e teu Filho...
Sou seu ar, sua sede e sua água
Sou a terra que pisas e sentes...
Sou o ser Supremo da Sabedoria

Chama-me de Pai, de DEUS...
Chama-me do que quiser, pois assim serás
Chama-me... sempre e como quiser
Chama-me de Amigo!

23 de agosto de 2010

Hoje eu nem sei o que sei...


Hoje a cama está desarrumada,
O silêncio em minh'alma é profundo,
A tristeza dona de mim e de meu coração

Hoje a dor já não dói de forma tênue,
Suportável como fora em outrora,
A dor de hoje dilacera meu eu...

Hoje estou com pensamentos confusos,
Perturbado por minhas mentiras
Cansado de meus fracassos

Hoje o sorriso me falta,
O cansaço me brinda,
E sua falta é meu fardo mais pesado...

Hoje você me deixou sozinho,
No momento em que te busquei
Querendo de ti apenas consolo e resposta...

Meus "porquês" já não sabem,
Das verdades de minhas loucuras,
Do soluço do choro de meu espirito

Hoje essas lagrimas que me banham a face,
São suas e de mais ninguém...
Inteiramente suas que hoje me fez perder a noção

Falo isso de ti, que me abandonou na noite de ontem,
Ti minha vida, meu tudo, meu nada...
O dom chamado INSPIRAÇÃO...

(Homenagem à aquela que nunca me abandona, o presente maravilhoso que ganhei de DEUS que é a minha inspiração)

19 de agosto de 2010

Rsposta ao Tempo... (Nana Cayme)


















Batidas na porta da frente
É o tempo
Eu bebo um pouquinho
Prá ter argumento

Mas fico sem jeito
Calado, ele ri
Ele zomba
Do quanto eu chorei
Porque sabe passar
E eu não sei

Num dia azul de verão
Sinto o vento
Há folhas no meu coração
É o tempo

Recordo um amor que perdi
Ele ri
Diz que somos iguais
Se eu notei
Pois não sabe ficar
E eu também não sei

E gira em volta de mim
Sussurra que apaga os caminhos
Que amores terminam no escuro
Sozinhos

Respondo que ele aprisiona
Eu liberto
Que ele adormece as paixões
Eu desperto

E o tempo se rói
Com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor
Prá tentar reviver

No fundo é uma eterna criança
Que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder
Me esquecer

Respondo que ele aprisiona
Eu liberto
Que ele adormece as paixões
Eu desperto

E o tempo se rói
Com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor
Prá tentar reviver

No fundo é uma eterna criança
Que não soube amadurecer
Eu posso, e ele não vai poder
Me esquecer

No fundo é uma eterna criança
Que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder
Me esquecer