30 de março de 2011

Meu tempo...


O tempo passa diante de meus olhos,
As manhãs correm, as tardes escorregam,
Por entre os dedos as noites caem...
Cansado entrego aos braços de Morfeu

Quem dera tivéssemos tempo...
Mais tempo para nós, para nossos tempos,
Temos todo o tempo do mundo,
Mas não temos tempo para nada...

Queria poder ouvir a canção,
Sentir seu coração pulsar em meu abraço,
Sentir seu respirar profundo do dormir,
Queria ter tempo de conseguir sorrir...

Mas não tenho tempo para isso,
Não tenho tempo para mim,
Não tenho tempo para dar tempo a ti,
O nós juntos, por si só já nos basta

Fugimos do tempo no espaço tempo,
Fugimos do mundo e no mundo sempre a sós
Corremos de nós mesmos para ficarmos juntos,
Somente assim teremos no futuro tempo para nós...

Quiça um dia o tempo me sobre,
Nem que seja apenas para mostrar o meu sorrir,
Quem sabe o tempo seja nosso amigo,
Para dar tempo de ficar muito mais junto a ti

6 comentários:

Sam disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sam disse...

Oi Carlos! Vim convidar você para conhecer meus blogs
http://palavras-e-sentimentos.blogspot.com/
http://junglegirl-na-janela-secreta.blogspot.com/
Se gostar pode seguir, ficarei feliz em vê vc por lá *-*

Sam

MARILENE disse...

Sempre haverá um tempo. Tudo depende nós, de nossa verdadeira busca, da redução dessa ansiedade que tanto prejudica o alcance dos ideais.

Obrigada por me seguir. Também já estou aqui.

Jesus te ama! disse...

vim retribuir a visita como gostei do espaço estou seguindo!!! um lindo dia!!! gostei do texto!!!

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog momentos fragmentados. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/

GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

Parabéns pelo dias dos pais. Que Deus continue abençoando a sua família.